Precisamos falar sobre You | Netflix

por Bruna Carolina

Olá, leitores e leitoras, tudo bem com vocês?

A review de hoje é da primeira e segunda temporada da série You, série produzida pelo Lifetime disponível na Netflix, baseada no livro da autora Caroline Kepnes. O personagem principal da trama é Joe Goldberg, interpretado pelo ator Penn Badgley, que ficou conhecido como Dan personagem da série Gossip Girl.

Existem muitos pontos a serem discutidos na série, desta forma, pretendo abordar somente o que mais chamou minha atenção. Fiquem à vontade para deixar a opinião de vocês nos comentários também.

Resumo: Primeira temporada

Joe Goldberg é gerente de uma livraria, e logo no primeiro episódio ele conhece Guinevere Beck ou apenas Beck (Elizabeth Lail). Beck é uma aspirante a escritora e vai até a livraria em que Joe trabalha para comprar um determinado livro. E a partir deste momento, o mesmo começa a criar um “relacionamento” em sua cabeça com a moça que ele acaba de conhecer.

Na livraria, Beck entrega seu cartão de crédito para realizar o pagamento e a partir desta atitude, Joe acredita que ela o fez para que ele saiba o nome completo dela e que dessa forma ele pode procurá-la. Após descobrir todas as redes sociais, ele  decide stalkear Beck,  seguindo-a pela internet e  até mesmo em sua casa e outros locais que ela frequenta. Além disso, Joe começa a rastrear suas mensagens pessoais, hackeando seu celular e computador, e também seguindo todos ao redor de Beck.

Beck e Joe

Resumo: Segunda Temporada

Na segunda temporada, Joe muda-se para Los Angeles e tenta mudar completamente de vida esquecendo seu passado. Ele consegue um emprego e conhece Love (Victoria Pedretti). E durante muito tempo, Joe tenta ignorar a vontade de fazer tudo o que fez no passado com Beck, pois acredita ter mudado, mas é possível notar que não é verdade.

Nas duas temporadas, existem personagens que trazem a tona um lado mais humano de Joe, em que é possível explorar aspectos que aconteceram na infância e adolescência do protagonista, tenta justificar seus atos se baseando nesses fatos. Assim como há personagens que despertam o lado psicopata de Joe, levando a cometer vários crimes.

Joe e Love

A série traz diversos questionamentos, o primeiro é com certeza o relacionamento abusivo. Joe é extremamente abusivo em seus relacionamentos. Ele acha correto invadir a privacidade da parceira. Por ser uma pessoa manipuladora, ele acredita que tudo o que a parceira faz é errado, além disso, ele acredita ser o único homem que serve para a pessoa.

Como a história é contada pelo ponto de vista do protagonista, não é, portanto, um narrador confiável. Sendo assim, é muito fácil que tenham empatia por ele, em algum momento, apesar de estar sempre errado. Os personagens que apareceram para trazer um lado mais humano de Joe, só prova que ele não tem empatia alguma, só quer aliviar a culpa pelos crimes que cometeu.

Joe é um psicopata, stalker e também um assassino

E apesar disso tudo o mesmo mantém uma vida funcional e social como qualquer cidadão. Por este motivo ninguém acredita que o mesmo possa ter cometido algum crime. Não vem escrito na testa de ninguém quem é bom ou mau, e este é o grande destaque da série. Mostrar como uma pessoa pode ser má e criminosa, sem que ninguém ao redor note e principalmente, como relacionamentos podem acabar quando uma das partes são abusivas ao extremo.

Alguns pontos foram deixados para trás ao longo da série, e acredito que passou despercebido pelos roteiristas e me deixou extremamente incomodada nas duas temporadas, que foi a falta de investigação. Diversos crimes foram cometidos, e em nenhum momento houve uma investigação pela policia local a respeito do caso, coleta de DNA deixado nas cenas de crime ou até mesmo câmera de segurança que possa ter filmado algo suspeito.

O maior ponto positivo ao meu ver foi que em nenhum momento romantizaram as ações de Joe. Como tudo é pelo ponto de vista dele, é muito fácil  criar um vínculo com o mesmo, porém todos os episódios deixam claro que o que ele faz é errado, trazendo um certo incômodo para quem assiste. E acredite, é proposital.

A fotografia da série é linda e diferente, pois em várias cenas há um desfoque no fundo, deixando apenas os personagens em destaque, o que traz uma imagem bonita e também uma ideia de como Joe vê as coisas ao seu redor.

O roteiro da primeira temporada foi muito bem trabalhado e nota-se uma coerência maior que no roteiro da segunda temporada. Já foi confirmado a terceira temporada, e admito que não despertou meu interesse em assistir, acredito que esta série pode acabar se tornando uma “13 reasons why” da vida com muitas temporadas e muito conteúdo desnecessários.

De um modo geral, recomendo que assistam e tirem as próprias conclusões, prestando atenção em cada detalhe.

Veja também

Deixe um comentário