2001 Uma odisseia no espaço | Arthur C. Clarke || Resenha

por Nilda de Souza
_livro_espaço

2001 uma odisseia no espaço, um clássico da ficção científica que protelei a leitura por anos, achando que ia encontrar uma linguagem truncada, cheia de termos científicos complicados. Não podia estar mais enganada. O livro traz uma narrativa é fluída, com uma linguagem simples, mas muito interessante. Foi um dos livros que li mais rápido esse ano. Um leitura agradável e inspiradora. Alguns acham a leitura arrastada em alguns pontos, mas eu não achei.

Eu sempre gostei de ficção científica. Gosto, sobretudo, de imaginar o que tem lá fora.  Será que existem seres com tecnologias super avançadas. Outros mundos. Muitas possibilidades. Tudo isso sempre povoou meu imaginário. Ler sobre isso me deixa muito empolgada. E esse ano coloquei como meta ler mais os clássicos do gênero. 

Faz muito tempo que eu vi o filme 2001: uma odisseia no espaço. Eu lembro que uma dos pontos que mais me chamou atenção foi a fotografia. Já as primeiras imagens é de encher os olhos. Os tons são belíssimos. Eu achei o filme lento, umas partes chatas. Vou aproveitar esse momento para rever. Acho que agora terei outra visão do todo.

A evolução da espécie humana

A narrativa inicia há três milhões de anos, numa tribo de hominídios que levam uma vida de rotina entre procurar comida e disputar a pouca água com outra tribo. Um dia algo estranho, um monólito, aparece no caminho da tribo. De alguma forma o monólito dá o impute na evolução naqueles hominídios para que evoluam até chegar na nossa espécie humana. E com tecnologias tão avançadas aponto de colonizar o espaço.

Ao contrário dos animais, que só conheciam o presente, o Homem havia adquirido um passado; e começava a tatear na direção de um futuro.

A narrativa vai para o ano de 1999. Acompanhamos o auge da corrida espacial. A humanidade tem tudo o que precisa, em termos de tecnologia, para montar estações no espaço. Porém, um monólito encontrado enterrado na cratera lunar escapa a qualquer tecnologia desenvolvida para inspecioná-lo. Um especialista é chamado, dr. Heywood Floyd, para tentar desvendar o que é objeto, um retângulo preto, sem qualquer abertura. Após três milhões enterrado na cratera  lunar ele tem seu primeiro contato com a luz do sol. E esse evento faz com que o estranho objeto emita um sinal, uma trilha a se seguida até Saturno.

Na terceira parte do livro, estamos em 2001. A nave Discovery ruma a Saturno, seguindo a trilha do sinal deixado pelo monólito. A equipe era composta por David Bowman, Frank Poole, além de três membros que seguem viagem congelados no hibernáculos. Ainda havia um sexto membro, o computador HAL 9000, “o cérebro e o sistema nervoso da nave.”

Um monólito senhor das ações

Essa terceira parte do livro, assim como a primeira, é muito interessante. O leitor fica na expectativa de uma explicação para o tal monólito. Além disso, temos a inteligência HAL 9000 que provoca a ação dessa terceira parte da narrativa. Há um certo suspense. Como se de alguma forma a inteligência artificial estivesse  tento protegendo a humanidade, mesmo que para isso precisasse sacrificar vidas.

Em suma, eu gostei muito de 2001: uma odisseia no espaço. O que mais gostei é que não há seres verdes, nem monstros. Aqui há um objeto, sem explicação, que de certa forma é quem comanda as ações. 2001: uma odisseia no espaço é uma história sobre  evolução. 

Finalmente, uma das perguntas mais antigas do homem havia sido respondida. Ali estava a prova, além de toda sombra de dúvida, de que a sua inteligência não era a única criada pelo universo. Mas, com esse conhecimento, vinha novamente uma consciência dolorosa da imensidão do Tempo. O que quer que tivesse passado por aqui havia se desencontrado da humanidade por uma questão de cem mil gerações.

 

10 comentários
0

Veja também

10 comentários

Bianca Ribeiro agosto 13, 2019 - 9:59 am

Menina, nunca li esse livro! O motivo eu realmente não sei, acho que eu também esperava uma coisa mais dificil ou o fato de que eu não me considero “leitora” o bastante pra entender esse tipo de livro ainda, não sei.
Adorei sua resenha, me deu uma empolgada pra tentar ler, quem sabe agora vai!

Reply
Mari Barros agosto 13, 2019 - 9:04 pm

Olá!

Pelo visto, foi uma leitura muito boa, né?
Adorei ver a obra sob suas perspectivas, pois eu mesma não a conhecia.
Adorei sua resenha!

Beijos,
Blog Diversamente

Reply
Vivi agosto 14, 2019 - 9:34 am

Oi Nilda, que legal tua leitura, eu também faz pelo menos uns 18 anos que assisti ao filme na escola. Vou incluir ele na minha meta de leitura do ano que vem, que pretendo ler clássicos ou livros mais antigos. Ótima dica.
Bjos
Vivi
http://duaslivreiras.blogspot.com/

Reply
Clayci Oliveira agosto 14, 2019 - 5:15 pm

Oi Nilda tudo bem? Eu amo esse clássico e quero reler ainda esse ano *_*
Adorei demais a rua resenha

Reply
Gustavo Marques agosto 14, 2019 - 9:16 pm

Não conhecia o livro, mas ele parece ser ótimo pelas suas opiniões. To me sentindo um pouco peixe fora d’água, pois todos parecem conhecer, menos eu hahaha.
Adorei sua resenha e me fez querer ler e conhecer a história!!!

Reply
Fernanda Santos Barroso agosto 14, 2019 - 10:36 pm

Olá! Tudo bem?
Apesar de estar entrando em leituras novas, Gêneros novos, eu ainda não consigo me sentir atraída por livros “no espaço”. Apesar de ter adorado a sua resenha, ela me deixou curiosa sobre alguns fatores! Que bom que te animou a leitura e pode aproveitar!

Reply
Marijleite agosto 15, 2019 - 5:34 pm

Oi, sou curiosa para ler esse livro, bom saber que a linguagem não é truncada. Gosto muito de histórias que envolvam viagens ao espaço e essa me pareceu bem interessante pelo seu post.

Reply
Carol Nery agosto 15, 2019 - 9:30 pm

Eu tenho muita vontade de ler mais sci-fi do que tenho lido! E esse é um dos clássicos que povoa minha TBR da VIDA.
Que legal essas informações que você passou a respeito de não ser uma leitura complicada, e cheia de termos que às vezes, nos deixam desconfortáveis.
Já estou ansiosa por me jogar nessa leitura!!! Adorei a resenha.

Reply
Ana agosto 16, 2019 - 10:18 am

Nunca vi o filme, nem fiz a leitura. E realmente, a maioria fala que determinada parte da narrativa é mais lenta. Eu não sou muito boa com leituras de ficção científica, a maioria acho a leitura muito lenta, talvez seja por isso que nunca li 2001 kkkk mas sua resenha me deixou mais inspirada a tentar

Reply
Dayhara Ribeiro Martins agosto 21, 2019 - 10:46 pm

A gente realmente construiu a ideia no nosso imaginário de que os seres de outro mundo são verdinhos e olhudos ne? Hahaha eu adoro esse livro, acho essa edição maravilhosa e adorei conferir as suas impressões a respeito.

Reply

Deixe um comentário