Resenha || É mamífero que fala né | Editora Paulinas

por Nilda de Souza

Quando eu engravidei dos gêmeos, uma das minhas maiores preocupações foi com a amamentação. Até então eu sabia bem pouco sobre o tema. Eu tinha muitas crenças e achismos, ligados ao que eu ouvi da minha mãe e das minhas irmãs, que já eram mães.  

Para além da opinião da minha família, eu precisava saber o que a ciência diz sobre amamentar. Para sanar todas as minhas dúvidas eu li muito sobre. Eu busquei informações nos órgãos de saúde: Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministério da Saúde (MS), Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e em livros. Além, é claro, de todas as conversas com minha obstetra e depois com a pediatra.

O motivo desse pequeno relato é que hoje eu estou aqui para falar de É mamífero que fala, né?, dos autores Vanessa de Abreu e Moises Chencinski, Editora Paulinas. Esse livro tem uma proposta super interessante. Ele propõe criarmos uma cultura da amamentação. Para isso, devemos falar com as crianças sobre a importância de amamentar, para que elas se tornem adultos com consciência e atitude diferentes no futuro. É mamífero que fala, né? compreende que as crianças têm um papel ativo para as mudanças sócio culturais.

As mães e os pais precisam compreender que o leite materno é o único alimento de que os bebês precisam nos primeiros seis meses de vida e em livre demanda, de preferência. 

É mamífero que fala, né? não é um livro com questões técnicas, estatísticas. Não é isso. O tema é abordado de forma simples, mas sem ser simplista, porque não se deve subestimar a capacidade de compreensão das crianças.

Em É mamífero que fala, né? os personagens são os membros do família do Lucca. Ele acaba de ganhar uma irmãzinha, a Marcela. Lucca convida a avó para juntos fazerem um bolo para Marcela. A avó aproveita esse momento especial com o neto para contar uma história que está num livro chamado Mamífero.

A história é sobre os animais que nascem da barriga da mamãe e que se alimentam de leite materno, exclusivamente, por algum tempo. Cada animal tem sua especificidade quanto ao tempo de amamentação, uns mais tempo, outros menos, mas todos eles têm incomum o fato dos filhotes se alimentarem exclusivamente, no primeiro momento de vida, de leite materno.

Leite materno é alimento e amor

 O neto fica impressionado ao saber que a baleia, um animal gigante que vive no mar, é um mamífero. Lucca também acha curioso o fato do morcego ser um mamífero. Outros animais também são citados na história. Ao final, Lucca compreende qual é o melhor alimento para a irmanzinha Marcela. Ah, É mamífero que fala, né? ainda traz a receita do bolo preparado pela a avó do Lucca.

Eu amei ler esse livro. Adoraria ter lido livros assim quando criança. Essa vai ser um leitura constante aqui em casa. Não posso deixa de falar das ilustrações, trabalho belíssimo da Helena Cortez. Casamento perfeito entre o verbal e o não verbal.

Leiam esse livro com seus filhos, para que no futuro tenhamos uma nova geração de mães e pais conscientes de que o leite materno é, além de amor, o único alimento de que os bebês precisam nos primeiros seis meses de vida.

Veja também

5 comentários

Larissa Dutra junho 10, 2019 - 2:51 pm

Olá, tudo bem? Que bacana a proposta desse livro, ainda não conhecia ele, mas achei bem interessante e diferente. É uma obra que precisa mesmo ser lida. Adorei tua resenha e dica!

Beijos,
Duas Livreiras

Reply
Maria Luíza Lelis junho 11, 2019 - 8:32 pm

Oi, tudo bem?
Não conhecia esse livro ainda, mas já adorei. Acho que ele traz um tema super importante e que as pessoas precisam se conscientizar. O leite materno é muito importante para o bebê e muitas mães ainda não têm consciência disso. Além disso, parece que este livro é uma leitura muito leve e envolvente, com ilustrações muito fofas.
Adorei sua resenha e acho uma ótima dica para quem tem filhos ou pretende ter algum dia.
Beijos!

Reply
Fernanda Santos Barroso junho 11, 2019 - 10:58 pm

Olá!
Uma das coisas que eu mais amo em livros infantis é como conseguem nos mostrar que as crianças entendem assuntos de uma forma tão mais simples e objetiva do que muitos de nós. Elas vão aceitar, se divertir e ensinar! Não é atoa que dizem que temos ser mais como crianças, não é mesmo? Eu adorei a dica, vou procurar pra minha irmã e minha afilhada (essa última que está aprendendo a ler agora) e tenho certeza que vão adorar. Obrigada pela dica!
Abraços

Reply
Clayci Oliveira junho 12, 2019 - 9:01 am

Que amor de livro!
Sou tia de gêmeos e assim como vc, minha irmã ficou perdida e procurou várias informações sobre amamentação. Na época eu pesquisei junto com ela e acabou que os babys não pegaram o peito, mas foi BOM demais ler a respeito. E ver um livro assim, com uma linguagem acessível me deixa feliz. Adorei a proposta <3

Reply
Debyh junho 12, 2019 - 11:42 am

Olá,
Que livro bonitinho! Mesmo não sendo mãe me senti meio tocada pela ideia do livro.
Como eu sou uma das netas mais velha da família, e tenho um monte de primos mais novos a coisa de ver uma das minhas tias amamentado (quando eu era criança) era uma situação bem corriqueira, então desde pequena era tudo bem natural pra mim, mas entendo para uma criança que não tem tantas referências é algo a ser pensando.
Seus gêmeos são lindos, vi na foto ali do lado hehehe.

Debyh
Eu Insisto

Reply

Deixe um comentário