Resenha de O Cemitério | Stephen King | Editora Suma

por Nilda de Souza

O Cemitério é, antes de tudo, um livro sobre perdas. Uma história de como uma família lida com o luto. Ou melhor, uma história de como não se deve lidar com o luto. O cemitério traz a história da família Creed, que se muda para uma casa na beira de uma rodovia perigosa, onde passam muitos caminhões em alta velocidade, próxima à cidade de Ludlow. Os membros da família são: Louis Creed, a esposa Rachel, os filhos Gage e Ellie e Church, o gato.

Os Creeds se tornam amigos Judson Crandall. É por meio de Jud que o mal vai alcança-los. Já no início da narrativa, Jud leva todos eles ao “Simitério de bichos”, um cemitério que fica próximo a casa deles, onde as crianças da cidade enterram seus animais de estimação mortos. Para além do cemitério de bichos, há ainda um antigo cemitério indígenas Micmacs. E é nesse lugar que tudo pode acontecer.

O Cemitério foi uma ótima leitura. Eu devorei o livro em poucos dias. A forma como King trabalha o tema do luto é brilhante. O Iluminado (resenha no link) continua sendo meu livro favorito, mas O Cemitério tem um lugar no coração. Um dos pontos que eu mais gostei foi a construção psicológica do personagem Louis. O embate na mente dele entre a sanidade e sobrenatural é muito bem feito. Ele sabe que o que está fazendo é uma loucura, mas mesmo assim não tem força para resistir

Uma mente perturbada

Em O Cemitério, Stephen King trabalha um dos medos humanos que mais nos impacta: a morte. Louis, homem da ciência, que deveria aceitar a morte de forma mais natural, acaba sendo o mais impactado pelas perdas dos seus entes queridos. A mente do coitado vira uma bagunça. Até que ponto foi o sobrenatural que o influenciou? Ou foi a dor da perda?

Já Rachel, a esposa, trazia um trauma do passado com relação a perda de uma pessoa próxima. Ellie, a filha, também precisava lidar com a morte de um bicho de estimação, mas o pai preferiu interferir na ordem natural da coisas.

Um ponto muito curioso no trabalho de King é o uso do cemitério indígena como recurso onde o mal habita, esperando pacientemente por suas vítimas. Em O Iluminado, a ambientação da narrativa se passa num hotel que foi construído em cima de um cemitério indígena. E o mal se apossa do lugar. O hotel se torna o próprio mal.

Você ressuscitaria um ente querido se tivesse um meio para isso?

Em O Cemitério, o mal também se apossou do lugar, mas parece que o poder é maior do que no O iluminado. O mal consegue ter domínio para além do espaço físico do cemitério. Seus tentáculos alcançam até a cidade próxima.  Acho que também ele escolhe suas vítimas. A família Creed se tornou a vitima perfeita.

Outro ponto de encontro em O Iluminado e O Cemitério é forma como é desenvolvido os aspectos psicológico nos personagens: Jack Torrance e Louis Creed, respectivamente. Há uma luta constante entre razão e loucura. Os dois pais de família parecem ser os elos mais fracos e, por isso, o mal começa a sussurrar em suas mentes.

Se você gosta de terror com menos sustos, menos sangue e mais trabalho psicológico, então o Cemitério é um livro indicado para você. Algumas pessoas reclamam que o desenvolvimento da trama é lento, principalmente na segunda parte. Mas eu não achei. Acho que os fatos vão sendo trabalhados na medida certa.  Também acho que para quem é mãe ou pai talvez essa leitura tem um impacto maior.  

Veja também

9 comentários

Bianca Ribeiro maio 31, 2019 - 5:18 pm

Eu vi o filme e gostei muito do que fizeram nesse filme, em comparação com o outro. Mas ainda não tive oportunidade de ler o livro, acho que me falta tempo ou o fato de eu já ter visto o filme me da uma desanimada de ler o livro, não sei. Mas tem bastante gente nessa ação com a Suma pra falar do livro né?! Quem sabe eu consiga ler logo! Adorei sua resenha e suas fotos!!

Reply
Larissa Dutra maio 31, 2019 - 5:26 pm

Olá, tudo bem? Eu sempre quis ler esse livro, e minha curiosidade tem aumentado nos últimos dias, com o lançamento do filme no cinema. Tua resenha me deixou ainda mais curiosa para ler a obra, que parece ser mesmo fantástica. Amei a dica!

Beijos,
Duas Livreiras

Reply
Paac Rodrigues junho 1, 2019 - 10:30 pm

king é king né? das obras dele que li só teve uma que não gostei, mas amo a escrita desse homem, ele envolve a gente de um jeito que é fascinante. sobre o cemitério: quero ler, ta na meta do ano ainda, mesmo sabendo que nao verei o filme kkk, mas estou num projeto de leitura de king <3

Reply
Alice Lacerda Montiel junho 3, 2019 - 2:38 pm

Oiii Nilda

Do King até agora só li um livro, Misery e apesar de ter gostado bastante por conta da vilã maravilhosa, achei a narrativa super densa e tive dificuldades em me envolver completamente. Pretendo ler outros livros dele pra ver se me acostumo e O Cemiterio é justamente um dos que está no topo da minha lista, sou bem curiosa em ler este.

Beijos

http://www.derepentenoultimolivro.com

Reply
Marijleite junho 3, 2019 - 5:18 pm

Oi Nilda, já li alguns livros do autor e estou curiosa para ler esse também, gosto da forma como o King constrói os personagens e a parte psicológica da trama, parece que em O cemitério ele acerta mais uma vez. Amei sua resenha.

Reply
Cibele junho 7, 2019 - 1:52 pm

Olá!
Já comecei a assistir O cemitério, e desconheço o motivo de não ter terminado. Rs Com sua resenha lembrei que ainda não tinha acabado o filme.
Espero continuar assistindo. Filmes de terror só assisto acompanhada, e livros nunca li. Ainda tenho receio com o gênero, mas também muita curiosidade de conhecer. Gostei de saber que ele não tem tanto terror, e sim mais questões psicológicas, gosto disso…
Adorei a resenha, beijos!

Reply
Fernanda Santos Barroso junho 7, 2019 - 9:22 pm

Olá!
Até hoje não consegui ler nada do grande mestre do terror, mas não por falta de vontade, e sim de tempo e coragem mesmo. Tempo porque os livros dele são sempre bem grande e coragem porque eu sou uma medrosa, normalmente o terror me tira algumas noites de sono, então… hahahaha Mas eu amo ler as resenhas, porque tenho certeza que são livros maravilhosos e que me deixariam muitos dias sem dormir.

Reply
Erika Monteiro junho 10, 2019 - 1:53 am

Oi, tudo bem? Sempre li muitos elogios sobre o autor mas não tinha ideia quais eram suas obras. Esse ano que comecei ir atrás e descobri o quanto ele é incrível. Vários livros dele que viraram adaptações já assisti como Cemitério maldito, O iluminado, Misery. Espero em breve conseguir ler todos eles. Essa edição da Suma ficou simplesmente incrível. Beijos, Érika =^.^=

Reply
Yvens junho 12, 2019 - 5:56 pm

Olá, tudo bem Nilda?

Eu gostei muito da sua resenha, apesar de ter o livro eu ainda não li, mas já assisti ao filme e ainda que pese as fortes críticas eu gostei bem. Adorei a foto, ficou bem caprichada e obrigado pela dica, fiquei com vontade de começar logo a leitura.
Abraço!

Reply

Deixe um comentário