Resenha de Flores para Algernon | Daniel Keyes | Editora Aleph

por Nilda de Souza

Eu terminei Flores para Algernon despedaçada. Essa foi uma leitura que me tocou profundamente. Não tem como a gente ler e não se questionar sobre valores éticos e morais que regem nossas vidas e a sociedade. É um livro que desperta uma compaixão genuína pelos personagens.

Eu li o e-book, mas vou comprar o físico, pois quero deixar na biblioteca que estou montando para meus filhos. Quero que eles cultivem valores éticos superiores, como compaixão e empatia. Acredito que este livro terá um papel importante na formação dos dois (Ben e Miguel do futuro, essa é uma leitura obrigatória).

Em Flores para Algernon, Charlie, personagem principal, narra a história por meio de “relatórios de progresso”. Charlie é um homem de QI baixo, classificado de retardado mental. Ele sabe dessa condição e tem uma vontade imensa de se tornar inteligente. O protagonista acaba se submetendo ao experimento científico de aumento de inteligência. E é desse experimento que vem os relatórios que Charlie escreve para que os cientistas estudem sua mente e seu possível progresso.

Você deve está se perguntando o que é tão significante nessa história

Bom, quando Charlie era retardado ele não percebia a maldade das pessoas. Ele sofria bullying o tempo todo, desde criança. Você tem noção o que é passar a vida toda sendo ridicularizado? Ele era colocado nas situações mais humilhantes, e por não conseguir discernir, achava que estas pessoas eram suas amigas e que tudo era brincadeira. A própria família foi negligente com ele ( não quero nem falar dessa família). É impossível não sentir um misto de sentimento, entre raiva e desejo proteção.

Você já viu que Flores para Algernon me ganhou para sempre. Esse livro tem muitos pontos interessantes. Acompanhar o processo de transformação de um Charlie retardado a um Charlie superdotado é magnífico. O autor faz de uma forma gradual, sutil. É como se uma nova vida tivesse iniciado. O leitor acompanha desde as pequenas mudanças na escrita de Charlie, nos relatórios de progresso, até as suas reflexões éticas e filosóficas.

Em vários pontos, o protagonista fica refletindo o porquê das pessoas que se dizem éticas e virtuosas e que não riem de gente com defeitos físicos, mas não se importam em rir de pessoas com deficiência mental.

Que estranho é o fato de pessoas de sensibilidade e sentimentos honestos, que não tirariam vantagem de um homem que nasceu sem braços ou pernas ou olhos, não verem problema em maltratar um homem com pouca inteligência

Daniel Keyes

.

Flores para Algernon é uma história linda, envolvente, mas profundamente triste porque fala da nossa humanidade. Ou melhor, da nossa desumanidade. Um livro necessário para todas as áreas: filosofia, direito, medicina, psicologia e todas as licenciaturas. É um livro necessário para quem gosta de ficção científica, e sobretudo para quem deseja se tornar um ser humano melhor. Entrou para a minha lista dos melhores livros que já li.

Ah, eu nem falei de Algernon. Só vou dizer: todas as flores mais lindas do mundo para Algernon.

Informações:

Flores para Algernon venceu o prêmio Nebula e inspirou o filme Os Dois Mundos de Charlie, ganhador do Oscar de Melhor Ator, um musical na Broadway e homenagens e referências em diversas mídias.

Veja também

Deixe um comentário