Resenha de Histórias sopradas em vento | Fábio Monteiro

por Nilda de Souza

Eu e meus filhos viramos leitores assíduos das histórias de Fábio Monteiro. Os gêmeos leem do jeito deles, vendo as imagens e construindo seus significados. Bom, nós já lemos Sertão e A menina que contava. Os dois tem resenhas aqui. Deem uma conferida!

Hoje eu vou falar de Histórias sopradas em vento, um livro surpreendente e encantador. Ícaro é personagem que perpassa as histórias. Ele é um menino solitário, que vivi a andar sobre muros, catando que o vento vai levando. Até mesmo dormindo seus sonhos são povoados por histórias de tempos remotos. Histórias que ao longo do tempo foram contadas e recontadas e, por isso, transformadas, mas que não deixam nunca a magia se perder.

Ícaro coletava essas histórias que sopravam nesses ventos.

Fábio Monteiro

Um jeito poético de encantar os leitores

E é assim por meio da imaginação de Ícaro que conhecemos lendas da época em que os europeus chegaram ao continente. Conhecemos o vizinho avarento, o velho Odair. A vizinha, Dona Edith, que canta enquanto coloca a roupa no varal.

Um dia a solidão de Ícaro chaga ao fim. Uma nova vizinha. Uma princesa na torre. A rosa mais bela do jardim.

Ícaro sabia sobre solidão. O menino só não era mais sozinho porque tinha a companhia de suas histórias reais e imaginárias…

Pois é, andamos apaixonados pelas histórias do Fábio Monteiro. Ele tem um jeito único de narrar. Há uma melodia, um ritmo nas palavras que encanta. Os personagens são cativantes. Meninos e meninas cheios de imaginação.

Histórias sopradas em vento tem uma narrativa mais longa, com uma estrutura narrativa é um tanto quanto fragmentada, exigindo mais atenção do leitor, por isso eu indico para crianças fluentes na leitura. As ilustrações de Anelise Zimmermann são lindas e conjugam perfeitamente com o texto verbal.

Eu deixo abaixo mais fotos para vocês verem com é linda essa edição.

Compre por esse link e ajude a blog a se manter no atualizado.

Veja também

Deixe um comentário