Os três porquinhos e outras histórias | Editora Paulinas

por Nilda de Souza

Minha indicação de leitura infantil de hoje é de um livro com sábias lições: Os três porquinhos e outras histórias. Como o título indica, essa edição não traz somente a história do Os Três Porquinhos, ela reúne também fábulas clássicas, que são: O patinho feio, A história da Mindinha, O rato da cidade e o rato do campo, O lobo mal e os sete cabritinho, As aventuras do pequeno Polegar, Lourita e os três ursos, A lebre e o porco-espinho, O elefante e a lebre, O carangueiro e a garça. Não irei hoje me deter nas outras fábulas, para não ficar um texto muito grande. Mas pretendo falar de cada uma, em outra oportunidade. Essas histórias são adaptações livres dos contos de Andersen, Irmãos Grimm, Fábulas de Esopo e inglesas.

Nessa versão, os Três Porquinhos saem da casa dos pais e passam o verão todo brincando e se divertindo, sem se preocupar com nada. Quando chega o inverno, eles se dão conta de que é preciso ter um lugar quente, com comida guardada para enfrentar o longo tempo frio.  Um dos porquinhos constrói uma casa de palha, pois queria terminar logo para ter mais tempo para brincar. O outro porquinho constrói uma casa de tabuas velhas, pois também queria terminar logo. Já o terceiro porquinho constrói uma casa de tijolos e, por isso, leva bastante tempo para terminar. Os dois outros porquinhos até ficam zombando dele, pois enquanto ele trabalha os outros dois brincam.

Há um lobo pela região. Com fome, o lobo resolve caçar os porquinhos. Ele consegue facilmente derrubar as duas casas frágeis com seu sopro potente. Os dois porquinhos fogem desesperados para a casa do irmão, que tem a casa construída de tijolos. O lobo, confiante, tenta derrubá-la também, mas não obtêm sucesso.

Não é novidade, vocês sabem que essas histórias trazem sempre uma moral. A dos Três Porquinhos, por exemplo, fala sobre sermos cuidadosos no que fazemos, em trabalharmos bem, com capricho e dedicação.

Meu filho, Ben, amou essa edição. Ele não se cansa de olhar as ilustrações vintages, que são belíssimas, por sinal. As preferidas dele são as dos Três Porquinhos, mas ele também gosta muito de O patinho feio e A lebre o o porco-espinho.

Leiam os contos de fadas clássicos

Por fim, eu gostaria de falar algo que eu acho muito importante. Possibilitem que seus filhos tenham contato com os contos de fadas clássicos, além, é claro, de outros tipos de leituras. As fábulas, os contos clássicos são poderosas ferramentas no desenvolvimento reflexivos dos seus pequenos.  E, por favor, intermedeiem as leituras de seus filhos. Dialoguem com seus filhos sobre as leituras que eles fazem. Nunca joguem a responsabilidade do acompanhamento na educação de seus filhos para um terceiro.  E conheçam os contos clássicos também, de preferência busquem em suas várias releituras. Estou falando isso para que não venha ocorrer interpretações distorcidas, por não perceber as intertextualidades nas histórias infantis contemporâneas. Ou ainda por não compreenderem as metáforas e o universo simbólico das histórias.Vide a última polêmica da internet com pais assustados, receosos e indignados com o conteúdo do livro O menino que espiava pra dentro, escritora Ana Maria Machado. Para saber do que estou falando leia aqui

 

Veja também

2 comentários

Beatriz setembro 4, 2019 - 2:37 pm

Minha mãe lia exatamente esse livro para mim quando eu era pequena, fiquei muito feliz em rever essas imagens e lembrar daquela época. Gostaria de pedir um favor, se possível, você poderia mandar fotos da história dos 7 cabritinhos por e-mail (biapmena@gmail.com)? Ela é a minha favorita e até hoje, com 25 anos, chamo minha mãe de Mãe Cabra de tanto que essa história me marcou.

Reply
Nilda de Souza setembro 6, 2019 - 12:38 am

Claro, vou te enviar. Estou com ele embalado, porque acabei de me mudar, mas assim que eu arrumar tudo, te envio.

Reply

Deixe um comentário