Resenha || O Iluminado | Stephen King

por Nilda de Souza

Hoje eu trago a resenha de um livro que há um bom tempo eu queria ler, O Iluminado, de Stephen King. O momento de leitura chegou graças ao incentivo da Evelyne, do blog I Like Movies. Ela estava com um projeto de leitura em conjunto e eu acabei participando.

O Iluminado traz a história dos Torrances, uma família normal, aparentemente. Jack Torrance é casado com Wendy. O casal tem um filho, Danny.

Jack é um ex-alcoólatra e ex-professor, tem um passado marcado por acontecimentos violentos. Danny é um menino com um dom especial. Ele é um Iluminado. Já Wendy é uma mulher sem muita presença de ação.

A narrativa se desenvolve quando Jack Torrance, sem perspectiva de encontrar outro emprego, acaba indo trabalhar de zelador no Hotel Overlook, na baixa temporada, graças a indicação de um amigo. O hotel fica nas colinas do Colorado, EUA, onde o inverno é sempre muito rigoroso. Nesse período, o Overlook fica isolado. Jack e a família terão que passar cinco meses isolados, sem ninguém por perto.

Como é escritor, Jack acredita que o isolamento o ajudará a concluir uma peça, na qual está trabalhando. Bom, a ideia é ótima, se não fosse o fato do Hotel um lugar sinistro. E Danny já sabia, muito antes do pai aceitar o emprego.

Ao longo dos anos ocorreram diversas tragédias no Overlook. Inclusive, houve um caso tenebroso envolvendo o último zelador de inverno e a família dele, durante a temporada de trabalho. O fato é que parece que o Hotel se alimenta das tragédias.

No inicio as coisas até pareciam estar sob controle. Porém, os fenômenos ganham intensidade à medida que a família se estabelece no hotel e a temporada de inverno chega. Danny e Jack são os mais afetados pelos fenômenos.

O caráter violento e conflituoso de Jack o torna alvo da influência do hotel, que o usa como meio de obter o menino. Jack vai enlouquecendo gradativamente, ao longo da narrativa.

Minhas considerações de O Iluminado

O livro é muito bom. Ele é bom porque traz reflexões sobre os terrores pessoais, dualidade do ser humano, além de colocar a pulga atrás da orelha dos leitores sobre a existência ou não de fatores sobrenaturais. Eu não morri de medo. Mas isso não quer dizer nada. Eu vejo e leio terror desde sempre.

No personagem Jack é perfeitamente trabalhado as questões de terrores pessoais e a dualidade humana. Jack já era um homem perturbado antes de vir trabalhar do Hotel, com um caráter violento que não tem com a gente perdoar. O bem e o mal se debatiam o tempo todo dentro dele. E o Orvelook se aproveitou disso muito bem. A narrativa aponta que talvez a raiz da violência esteja ligada à infância da Jack. Um pai violento, uma mãe omissa.

Julgava-se um sujeito bacana que só tinha que aprender a lutar contra seu mau gênio, antes que se metesse em confusão. Assim como tinha que aprender a lutar contra a bebida.

Stephen King
Hotel Orvelook uma entidade assassina

Já Danny é um menininho que a gente fica com vontade de proteger. E como é maduro para a idade dele. É por meio de Danny que os fatores sobrenaturais mais vão aparecer na narrativa. E o que dizer de Wendy? De uma mulher paralisada a uma leoa capaz de tudo para defender sua cria. Outro personagem com destaque é Dick Hallorann, o cozinheiro do Hotel, que também é iluminado. Ele age com um herói.

Este lugar desumano cria monstros humanos

Stephen King

E por fim, preciso dizer que foi legal a referência ao conto do Alan Poe. O Baile da Morte Vermelha e o  baile de máscaras num Hotel estão conectado de forma maravilhosa. Eu não lembrava de já ter lido o conto do Poe, mas assim que terminei de ler o O Iluminado corri para ler conto.

28 comentários
0

Veja também

28 comentários

Karini março 2, 2018 - 10:17 pm

Sou um ser muito suspeito quando se trata de Stephen King, tenho uma vasta coleção do autor em casa e muitos livros já lidos e relidos.. Amo!
Ele é o cara!
Já li o Iluminado – óbvio.

Todos os livros do mestre são nessa pegada que beira a loucura e realidade.. um terror psicológico que traz sempre dúvida se a mente humana que cria certas situações ou se existe de fato elementos paranormais.. Cada um , o desenvolvimento vai para um ou outro lado..
Mas o mestre sempre tem essa pegada forte brincando com a mente, fazendo jogos macabros e nos deliciando com enredos intrínsecos e únicos!

Eu amo muito!

http://www.alempaginas.com

Reply
Nilda de Souza março 4, 2018 - 10:53 pm

Que legal, uma fã!
Eu confesso que esse é o segundo livro que leio dele. Só havia lido Sob a redoma.
Agora estou numa fase de querer conhecer mais do estilo desse escritor tão querido pelos fãs.

Beijos

Reply
Fernanda Santos Barroso março 2, 2018 - 11:50 pm

Olá!

É fato que até hoje não vi uma pessoa se quer dizendo que não gostou de um livro de Stephen King, não é mesmo? Eu ainda não tive a oportunidade de ler nada dele, porque sou realmente medrosa, então… hahaha Mas este é um dos livros que estão na minha lista para quando eu criar coragem. Sua resenha ficou tão maravilhosa que me deu até uma vontade maior de adquirir o livro e me aventurar nele, apesar do medo.

Abraços

Reply
Clayci Oliveira março 3, 2018 - 6:00 pm

Ahhh aproveita para emendar no Doutor Sono <3
Gostei bastante dessa leitura. Eu tinha assistido a adaptação primeiro (do Kubric) e como é diferente, né? Agora entendo pq o SK não curti essa versão rs

Beijos

Reply
Nilda de Souza março 4, 2018 - 10:47 pm

Eu também vi o filme primeiro. Eu gostei do filme, mas tem muito pontos diferentes.
Mas acho que são duas obras muito interessantes.

Beijos
Ah, vou ler sim a continuação.

Reply
Ana Caroline Santos março 3, 2018 - 8:33 pm

Olá, tudo bem? Sempre ver elogios para as obras do Stephen King sempre me animam a um dia tentar vencer meu medo de terror e ler os livros dele. Um dos considerados clássicos deles, ganhar essa repaginada e voltar a alta me deixa ainda mais com expectativas do que esperar. Sua resenha está maravilhosa e faz coro a vários que sempre me falam para lê-lo. Adorei <3
Beijos,
https://diariasleituras.blogspot.com.br/

Reply
Beatriz Andrade março 3, 2018 - 9:17 pm

Oi, Nilda Eu li esse livro há pouco mais de 15 anos e fiquei tão traumatizada com a leitura que só voltei a ler terror no ano passado. Foi o meu primeiro contato com um livro do gênero e eu era ainda novinha, então fiquei muito impressionada. MAs eu tenho a maior vontade de reler e sei que minha experiência será diferente, eu lembro ainda de cada detalhe do livro e espero reler em breve. Eu quero muito também ler a continuação, Doutor Sono.

Reply
Nilda de Souza março 4, 2018 - 12:01 am

Pois é, eu também quero ler a continuação. Louca para saber como é Danny adulto.
Beijos

Reply
Viviane Almeida março 3, 2018 - 10:54 pm

Olá, tudo bem?
Primeiro quero dizer que amei a sua forma de escrever as resenhas e de dar as notas para os livros, é tudo tão diferente e ao mesmo tempo muito legal, parabéns!
Bom, eu ainda não li esse livro, mas depois de ler IT A Coisa do King, quero ler várias outras obras dele, tenho certeza que vai valer a pena.

Beijos e Abraços VIVI
http://vickyalmeida.blogspot.com

Reply
Nilda de Souza março 3, 2018 - 11:59 pm

Obrigada pelos elogios!
Eu ainda não li It, mas quero muito, só preciso tomar coragem para enfrentar as muitas páginas. Mas minha próxima leitura de King vai ser Misery.
Beijos

Reply
Dayhara Ribeiro Martins março 4, 2018 - 9:44 pm

Oie, diferente de você, eu nunca leio terror, sou medrosa demais mas recentemente li Sobre a escrita, do mesmo autor e fiquei muito curiosa sobre como o seu processo de escrita é consolidado, esse é um livro de renome e pretendo ler sim, saber que voce nao sentiu medo ja me animou haha

Reply
Mari março 4, 2018 - 10:11 pm

Eu não sou muito fã do Stephen King, mas sei que muitos admiram o trabalho do autor. Talvez não tenha pego o livro certo dele para ler. Mas já vi muita gente elogiando O Iluminado, por isso fico com um pouco de curiosidade.
Beijos
Mari
Pequenos Retalhos

Reply
Ritchelly Galani março 5, 2018 - 2:16 pm

Olá!, Tenho uma amiga que amou este livro mas não gostou muito da continuação.. Eu quero ler algum livro do Stephen King mas acho que vou começar por um menos grande haha.. Esse livro é um classico que com certeza vou ler mais pra frente, sua resenha ficou bem legal, separadinha por tópicos e amei a sua forma de pontuar <3

Beijos,
Conta-se um Livro

Reply
Cabine de Leitura março 5, 2018 - 2:23 pm

Eu li esse livro a cerca de dez anos atrás, quando trabalha em uma biblioteca. Confesso que adoraria ter o livro e reler essa obra, ainda mais que não me lembro das referencias a Poe, que é meu outro amor. Adorei relembrar aqui.

Abraços.

Reply
Sophia Merkauth março 5, 2018 - 8:39 pm

Oi Nilda, tudo bem? Nunca li nada do King e também não tenho muita curiosidade em ler. Meu filhos porém, já é meu oposto! Tem 13 anos e ama King! Tudo bem que ele leva um tempão para finalizar os livros dele, mas mesmo assim não tiro o mérito dele. Eu passo a dica, mas indicarei para o meu filho, acho que esse ele ainda não conhece, não tenho muita certeza! Parabéns pela resenha!

Reply
Jéssica Melo março 6, 2018 - 10:31 pm

Olá Nilda, eu li apenas um conto do autor, mas só por ele já curti sua forma de escrever *-* Assim sua resenha me deixou bem curiosa para ler esse livro <3 A trama parece ter sudo muito bem trabalhada. Adorei a dica.

Reply
Camila de Moraes março 7, 2018 - 12:42 pm

Olá!
Gosto bastante da escrita do King e esse jogo que ele faz com os personagens.
Parece ser uma história bem eletrizante e muito perspicaz.
Beijos!

Reply
Grazy Souza março 11, 2018 - 8:18 am

King sempre joga o sobrenatural em seus livros, mas o fator humano é o que pesa mais para o horror. O Iluminado é o perfeito exemplo da narrativa dele. Achei a trama de Carrie muito melhor conduzida, mas a parte mais assustadora tem a ver com os poderes dela e suas consequências, já no Iluminado tudo gira em torno da entidade ruim usando o homem ruim para ter o iluminado Danny. Até a metade do livro eubtava achando um saaaaaco, mas melhorou bastante desde que ele entendeu o que era “redrum” haha acho que pesou muito que o enredo é focado basicamente em 4 personagens, sendo que tô acostumada com os outros livros que trabalham muito também os terrores dos personagems secundários.

Reply
Nilda de Souza março 12, 2018 - 10:19 pm

Então, quanto ao estilo literário do King eu achei fraco nesse livro. Acho que faltou força na narrativa. Espero ler outros livros dele que me agrade quanto a esse questão.
Carrie eu vi só as adaptações. Mas pretendo ler em breve.
Beijos

Reply
Milena março 11, 2018 - 2:47 pm

Oi!
Sempre vejo comentários positivos sobre esse livro e sobre o autor. Parece ser uma história bem envolvente, pretendo ler quando tiver oportunidade.
Beijos

Reply
Lilian de Souza Farias março 12, 2018 - 1:57 am

Menina, quando o assunto é King, sou uma negação, li quase nada do autor e há anos, preciso melhorar isso em minha vida. Quero comprar os livros mais antigos dele para fazer um ano de leitura.

Reply
Nilda de Souza março 12, 2018 - 10:11 pm

Lilian, eu só havia lido Sob a redoma. Só agora senti vontade de conhecer a escrita e os enredos dele.
Eu só conhecia o King das adaptações.

Beijos

Reply
Menino Livros março 12, 2018 - 12:18 pm

Olá!
Ainda não li nada do King, mas tenho muita vontade de ler “It: A coisa.” Sobre esse livro, a premissa é bastante interessante, me lembra um pouco um livro que li recentemente, “O menino que desenhava monstros” O livro parece trazer uma ótima reflexão. Parabéns pela resenha!
Abraço.

Reply
Consuelo março 20, 2018 - 9:31 am

Já li muito sobre este livro e li um ou outro de Stephen King. Adoro. Quero muito ler este. E se Deus quiser leu ainda este ano!

Reply
Bruna Costabeber março 27, 2018 - 10:26 pm

Olá Nilda,
Eu já li alguns livros do autor e amei uns e odiei outros, acho que ele tem o dom de fazer isso, né? Eu gostei muito da forma como você abordou a história e de você ter dito que o autor aborda o terror pessoal nesse livro. Acho isso um ponto muito positivo e fiquei intrigada para saber como eu vou me sentir em relação a esse livro.
Adorei a resenha!
Beijos

Reply
Bruno Marukesu março 30, 2018 - 11:09 am

Oi, Nilda ^^
Stephen King é um mestre que gosto bastante de ler os seus enredos, mas por ele se apegar a detalhes e histórias paralelas que as vezes não tem influência no enredo principal isso acaba cansando para leitores que procuram ação atrás de ação numa história.
O ILUMINADO tenho grande interesse em ler mais por querer me atentar a detalhes que possivelmente eu não tenha visto na adaptação cinematográfica. Mas te confesso que não vi muitos elementos atrativos para mim, não achei tão surpreendente como sempre escutei e vi cultuarem, é uma história ok.
Jack me deu raiva mas achei estranho o conflito do bem e mal no personagem uma vez que a bondade não me recordo de florescer.
Danny é uma criança bastante inteligente, um Iluminado, e adoro ver esse tipo de personalidade em crianças que tenham papéis importantes para a trama, que tenha algo que a destaque pois se é uma criança normal, sem poderes, e tem um amadurecimento já acho forçado.
Espero poder ler a obra na edição capa dura da biblioteca do King. <3
Parabéns pela resenha, girl.
Abraços.

Reply
Nilda de Souza abril 3, 2018 - 2:25 pm

Acho que King não é um escritor notável, mas acho que ele escreve bem. E tem obras boas dentro do gênero, isso é inegável. De qualquer forma, ser notável é para poucos.
Também quero comprar a edição de capa dura.
Abraço

Reply
Resenha de O Cemitério | Stephen King | Editora Suma | maio 30, 2019 - 9:04 pm

[…] 8.5 Terror […]

Reply

Deixe um comentário