Resenha do livro Mary Poppins | P.L. Travers

Infantojuvenil Resenhas

Resenha do livro Mary Poppins | P.L. Travers

Sempre quis ler Mary Poppins. Quando eu era criança, me encantava a figura da babá mágica, que voa em seu guarda-chuva. Mas agora eu sei que essa babá da minha imaginação é a babá do clássico filme da Disney de 1964, vivida por Julie Andrews.

“E então a silhueta inclinada se lançou sob a ventania, abrindo a cancela do portão e eles puderam perceber que era uma mulher, que segurava um chapéu com uma das mãos, e com a outra carregava uma mala.” 

P.L. Travers

A Mary Poppins do livro é sisuda, ríspida, chega lembrar o estereótipo da babá alemã. Não é que a Mary Poppins do livro seja menos encantadora. É que ela tem outra forma de trazer a magia, o encanto para a vida das quatro crianças Banks – Jane, Michael e os Gêmeos: John e Barbara.

Mary Poppins traz a história da babá que foi contratada para cuidar  das crianças Banks, como já falei. É interessante notar que o narrador foca em alguns detalhes, como, por exemplo, dizer que a família morava na rua Cherry Tree Lane, Número Dezessete e que é menor casa da rua. Mas isso não quer dizer que a família é pobre.

” Se você quiser encontrar a rua Cherry Tree Lane, tudo o que precisa fazer é perguntar ao guarda que fica no cruzamento. Ele vai empurrar de leve o capacete para o lado, coçar a cabeça de modo pensativo, então vai apontar seu enorme dedo enluvado de branco e dizer: Primeira a direita, segunda a esquerda, dobre à direita de novo e vai chegar lá. Tenha um bom dia.” 

P.L. Travers

Os pais Banks não tinham muito tempo para os filhos. A mãe com os compromissos sociais e o pai sempre cuidando dos negócios. Mary Poppins chega pra trazer aventuras na vida das crianças. No desenvolver da história conhecemos outros personagens tão incríveis quanto Poppins. Há o tio de Mary, o Sr. Peruca, que é um personagem muito simpático, que faz as crianças riem até chegar o teto.

Tem o cachorro da vizinha que é uma fofura, o Andrew. Graças a Mary ele consegue tem uma vida sem tantas friscurites que sua tutora o obrigava a ter. Tem também uma vaca dançante; uma serpente Hamadríade, um urso marron, além de outros personagens curiosos. As crianças dão a volta ao mundo graças a uma bússola mágica.

Minhas impressões de leitura

Mary Poppins é uma leitura rápida. O estilo de escrita proporciona uma fluidez e um certo humor. Esse humor vem por meio das respostas dadas pela Mary às crianças. Um ponto que chama muito atenção é que a gente consegue perceber o quanto aquelas crianças precisam dos cuidados da Mary. Cuidados no sentido de proporcionar as aventuras, a fantasia, a magia. Em outras palavras, elas precisam de amor.

O livro contém de ilustrações do estilista Ronaldo Fraga. Mas com eu li no Kindle, não vou focar nesse ponto.  Na edição física com certeza o leitor consegue visualizar melhor a riqueza das ilustrações (Uma pena que a Cosac Naify tenha fechado. Essa edição já está esgotada).

O livro Mary Poppins foi publicado em 1934. É a obra mais conhecida da australiana Pamela Lyndon Travers, que também foi atriz e jornalista. Esse livro faz parte de uma série que conta com seis volumes.

 

Editora: Cosac Naify
Ano: 2014
Autora: P.L. Travers
Tradutor: Joca Reiners Terron
Páginas: 192
Sinopse: Uma das histórias mais amadas por crianças e adultos do mundo todo, Mary Poppins volta para as prateleiras brasileiras. O texto recebeu ilustrações do estilista Ronaldo Fraga, tradução do escritor Joca Reiners Terron e posfácio da professora de literatura inglesa da USP Sandra Vasconcellos. Os desenhos – verdadeiros croquis de moda –, foram bordados à mão em tecido, e fotografados para integrar a edição. A edição especial conta ainda com uma luva em formato de bolsa, com estampa exclusiva desenhada por Ronaldo Fraga. O leitor vai, finalmente, descobrir a história de Mary Poppins, a babá mágica que chega inesperadamente para cuidar das crianças Banks e lhes abre os olhos para os mistérios e as maravilhas que nos cercam, todos os dias.

About the author
Literamaníaca, seriemaníaca. Mãe de dois Dragões. Em metamorfose. Rezo para os deuses novos e antigos. Minhas jornadas são nas estrelas. A força está comigo. Não sei se tudo isso é verdade, só sei que foi assim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *