O livro das Ignorãças: Os deslimites da palavra

Outros Gêneros Poesia Resenhas

O livro das Ignorãças: Os deslimites da palavra

Manoel de Barros 

O poema acima é um dos meus preferidos do Livro “O livro das Ignorãças”, de Manoel de Barros.

Em uma “rasa” analise, podemos destaca alguns fatos estilísticos muito interessantes no poema. Veja.
Há um “eu” afastado para falar do coração (primeira estrofe);
É como se não tivesse controle (segunda estrofe);
Ele sabe que vai ser compartilhado;
Uso de metáforas, por exemplo: Meu fanal e um poente com andorinhas.
A expressividade do poema ocorre pelo o uso desses fatos estilísticos, para dizer que o sujeito está apaixonado.
Livros das Ignorãças: Livraria Cultura
Autor: Manoel de Barros
Editora: Record
Idioma: Português
Assunto: Poesia
About the author
Literamaníaca, seriemaníaca. Mãe de dois Dragões. Em metamorfose. Rezo para os deuses novos e antigos. Minhas jornadas são nas estrelas. A força está comigo. Não sei se tudo isso é verdade, só sei que foi assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *